Porque adotar o modelo de Igreja em Células?



Porque adotar o modelo de Igreja em Células?


O modelo de Igreja em Células é a grande revolução eclesiástica desse novo milênio. Alguém já disse que se trata da segunda reforma. Estamos caminhando de volta para Jerusalém! Só isso já seria motivo para abraçarmos esta visão. Entretanto, ela apresenta muitos argumentos a seu favor:


O que é uma Célula?


Segundo a Biologia, a célula é a estrutura mais básica e fundamental dos organismos vivos. É através das células que o corpo humano cresce e a vida se renova a cada segundo. Isso se dá porque cada célula contém em si todas as informações genéticas daquele corpo e se submete ao interesse geral do organismo como um todo. Isso significa que por uma célula se pode conhecer a identidade de todo o corpo.Quando uma célula do corpo humano “se rebela”, decide seguir seu próprio caminho independente dos interesses gerais de todo o organismo, temos aí um câncer. Se esta anomalia não for seriamente tratada, resultará seguramente em morte. Você sabe porque as pessoas envelhecem? Porque as indesejadas rugas aparecem e com elas as funções orgânicas vão se tornando mais débeis? Basicamente, porque as células vão diminuindo o seu ritmo de multiplicação e a vida não se renova na mesma velocidade que antes. Bem, usar o termo “célula” para descrever uma estrutura de crescimento e edificação da igreja é bem apropriado, embora não se possa encontrá-lo na Bíblia. Nos tempos em que ela foi escrita, a Ciência não havia chegado a este ponto de conhecimento e ninguém entenderia esse termo. Hoje, porém, sabemos bem mais e podemos utilizar a riqueza dessa figura.Na igreja, uma célula é uma pequena estrutura, definida, formada por um grupo limitado de pessoas, que expressa a vida de toda a comunidade e segue o seu propósito. Sua função fundamental, como no corpo, é multiplicar-se, produzindo o crescimento, mantendo a saúde e renovando a vida. Na prática, trata-se de grupos que se reúnem nas casas, escolas, escritórios ou qualquer outro lugar conveniente, para pregar o evangelho, ganhar e consolidar vidas para Cristo.Por que uma visão celular!


a. As células facilitam o relacionamento íntimo entre os membros e o desenvolvimento de alianças de companheirismo.

b. As células permitem e promovem um crescimento ilimitado da igreja, uma vez que ela não fica restrita às dimensões de um templo. c. As células fomentam a formação prática de novos líderes. d. As células fornecem o ambiente propício para que cada crente exercite seus dons e talentos, permitindo a participação de todos. A dinâmica informal de suas reuniões induz até os mais tímidos a se expressarem. e. As células alcançam com mais facilidade os perdidos, porque vão onde eles estão e não se revestem do formalismo comum nos templos. f. As células permitem o acompanhamento pessoal de qualidade, já que todo crente tem um líder próximo de si. g. As células tornam o testemunho da igreja mais abrangente, já que podem espalhá-la por toda a cidade. h. As células são a maneira mais eficiente (em alguns casos, a única) de implantação de novas igrejas, especialmente entre os povos não alcançados e cerrados para o Evangelho.


Quais os objetivos de uma Célula?


Uma célula existe para multiplicar-se. Lembre-se que a igreja é um corpo em crescimento. Por isso, as células têm que se voltar prioritariamente para a multiplicação. Se isso não acontece, temos uma séria disfunção.Quando falamos em multiplicação, não nos referimos apenas ao crescimento interno da célula, ou seja, ao aumento do número de seus membros. Embora isso tenha que acontecer sempre, não cumpre em si o seu objetivo básico que é multiplicar-se em outras células. Isso quer dizer que o líder bem sucedido não é aquele que consegue ter uma enorme célula, mas aquele que multiplica a sua em várias outras, no menor espaço de tempo possível. Para alcançar a meta da multiplicação, a célula precisa investir todo o tempo em evangelismo. Se não ganhar vidas, ela nunca poderá multiplicar-se. Isso requer uma drástica renovação de mente nos crentes antigos, visto que estão acostumados a receber e receber. Na célula, todos terão que dar, que orar, que evangelizar, que pensar em estratégias criativas, sempre visando a conquista dos perdidos.Como se trata da estrutura básica da igreja, a célula contribui também com os demais pilares da visão. Além de ser uma estrutura especializada em GANHAR gente, ela ajuda a CONSOLIDAR, uma vez que os novos convertidos são imediatamente inseridos em seu seio e ali recebem apoio, ensino, relacionamento, oração e encorajamento. Além disso, a célula associa-se à Escola de Líderes para DISCIPULAR ou TREINAR seus membros, sendo o espaço no qual o ministério de cada um poderá se revelar e ser aperfeiçoado de maneira prática. O apascentamento do rebanho, o ensino e a disciplina também ocorrem no ambiente da célula, embora sejam feitos de uma maneira mais profunda. Finalmente, é na célula que se atinge o quarto degrau da Escada do sucesso.


O ENVIAR. Quando um membro corresponde com sua vida e disposição, passando por todo o treinamento necessário e mostrando-se frutífero, ele deixa de ser um mero membro e passa ser um discípulo do Senhor e poderá começar uma nova célula.


10. Qual a estrutura de liderança de uma Célula?


Preste bastante atenção porque esta parte tem que ser bem compreendido por todos que desejam ser lideres de célula realmente! A responsabilidade sem duvidas é para todos, diretamente ou indiretamente porém os líderes devem ser mais atenciosos ainda. Uma célula precisa basicamente de um líder, um auxiliar e um anfitrião. O líder é o responsável pela direção da célula e pastoreamento direto de seus membros. Ele necessariamente tem que fazer parte de um grupo de doze e estar debaixo da liderança de alguém. O auxiliar ou co-líder é um líder em treinamento, alguém que tem correspondido em interesse e aliança e pode assumir responsabilidades secundárias, inclusive ajudando na direção das reuniões. Normalmente esse co-líder (muitos o chamam de “Timóteo”) será o primeiro a ser enviado para começar uma nova célula, quando estiver pronto para isso.O anfitrião é a pessoa que abre sua casa ou disponibiliza o local para as reuniões da célula. Ele precisa ter, portanto, um compromisso já assumido com Jesus e liberdade para usar aquele espaço sem embaraços ou contra-testemunhos.No caso das células de casais, também a liderança é formada por casais. Então teremos um casal de líderes, um casal de co-líderes e um casal de anfitriões. Aliás, sempre trataremos os cônjuges nestas células como se fossem umas pessoas só, para efeitos de contagem. Em relação ao papel de co-líder, ele pode ser exercido em conjunto por duas ou três pessoas (ou casais), desde que haja gente se apresentando com potencial para isso na célula. Esta é a maneira mais prática de desenvolver habilidades de liderança na vida daqueles que almejam o ministério. Normalmente esses auxiliares estarão cursando paralelamente a Escola de Líderes e logo deverão estar prontos para ser enviados. Porque trabalhar com Células homogêneas?


Vamos trabalhar com células homogêneas, ou seja, com células só de casais, só de homens, só de mulheres, só de rapazes, só de moças, só de adolescentes e Juniores, quando nossa estrutura permitir, com células só de crianças. Por homogêneo entendemos um grupo de pessoas afins, com características marcantes em comum.A experiência tem demonstrado que, quanto mais homogênea for à célula, maior será sua eficácia em ganhar vidas. Em primeiro lugar, as pessoas se sentem mais à vontade em grupos homogêneos. Não é raro acontecer de jovens ou adolescentes ficarem retraídos quando estão participando de grupos com seus pais. Homens podem se abrir com maior facilidade quando estão entre homens, sem a presença de mulheres. Isso diz respeito tanto aos antigos crentes, quanto aos visitantes ou novos convertidos. Em segundo lugar, trabalhar com células homogêneas expande o potencial de liderança na igreja. Homens, mulheres, rapazes, moças e adolescentes e Juniores podem ser usados como líderes porque terão que cobrir pessoas afins. Se trabalhássemos com células heterogêneas, eliminaríamos a possibilidade de usar como líderes as mulheres e os jovens, pois como poderia um rapaz ou uma moça responder pelo pastoreamento de um grupo onde houvesse casais? Que autoridade este líder teria? Seria conveniente uma mulher, ainda que adulta, madura e capaz, aconselhar ou orientar homens casados ou rapazes solteiros? Não estaríamos aí transgredindo um princípio bíblico (I Timóteo 2:12)? Com as células homogêneas, porém, esse potencial de liderança que está latente na igreja pode ser usado, jovem pastoreando jovens, mulheres cuidando de mulheres e homens acompanhando homens. O terceiro ponto a favor dos grupos homogêneos é a possibilidade de se trabalhar com as pessoas dentro de suas necessidades mais específicas, falando sua linguagem e tratando dos assuntos que lhe são mais pertinentes. Assim, numa célula de jovens se podem gastar mais tempo falando da sedução das drogas ou da fornicação, por exemplo, assunto que não seria tão interessante para casais ou que teria que receber uma outra abordagem.Alguns podem ter a preocupação de que a homogeneidade das células desagregue a família. Isso realmente poderia acontecer se o assunto família fosse esquecido nas células e se não houvesse outros espaços onde pais e filhos, esposos e esposas pudessem buscar a Deus juntos. Nesta visão, porém, família é uma peça-chave e alvo a ser trabalhado todo o tempo, nas grandes reuniões, em eventos específicos (como retiros e encontros) e nas próprias células. Além disso, na grande celebração semanal, toda a família terá oportunidade de adorar e aprender junta. Pense numa igreja convencional, com Departamento de ensino e tudo. O fato de separar as pessoas em classes por suas faixas etárias desagrega as famílias? De forma alguma! Tampouco isso acontecerá com as células homogêneas.


Todos os casais estarão em Células de casais?


As células exclusivas de homens ou de mulheres tendem a ser mais eficazes para ganhar novas vidas do que as células de casais. Por isso desejamos tê-las no maior número possível e, para isso, daremos aos casados a opção de estarem numa célula distinta da do seu cônjuge. Ou seja, se uma mulher é casada com um homem crente e os dois concordam em fazer parte de células diferentes, isso lhes será permitido e até incentivado. Há, entretanto, cônjuges que não funcionarão bem distantes um do outro, ou que terão dificuldades práticas para isso, como meio de locomoção ou agenda, por exemplo. Nesse caso, eles poderão optar por estarem juntos numa célula de casais, cujo objetivo será sempre ganhar novos casais para Cristo. Quando falamos assim, não queremos dizer que uma célula de casais não pode ganhar um jovem solteiro, ou uma pessoa cujo cônjuge não se converte. É claro que sim! Entretanto, se isso acontecer, essa pessoa será incentivada a transferir-se para uma célula que lhe seja afim, o mais breve possível.

Como se começa uma nova Célula?


Começar uma nova célula é um evento especialíssimo nesta visão. Significa que a célula-mãe, seu líder e os irmãos que estão partindo para o novo desafio estão pisando no degrau mais alto da Escada do Êxito, o ENVIAR. Isso merece festa! Como já dissemos, o objetivo máximo de uma célula é multiplicar-se em novas células. Para isso o líder e seus membros têm que trabalhar o tempo todo e o fator determinante para que haja essa multiplicação é a formação de novos líderes. Sem eles, a multiplicação fica impossibilitada. Quando o líder tem junto de si um auxiliar já preparado, ele o envia para começar uma nova célula. Para tanto, esse auxiliar tem que ter feito ou estar fazendo a Escola de Líderes (precisará ter terminado pelo menos o primeiro dos três níveis da Escola ), ter se mostrado uma pessoa submissa e disposta, e apresentar um bom testemunho, sem desvios importantes de caráter ou comportamento. Uma vez que a célula tem alguém com esse perfil, está na hora de multiplicar-se, independente do número de membros que esta célula possui. Este novo líder, então, escolherá um auxiliar (provavelmente alguém que ele ganhou, consolidou ou está discipulando) e um anfitrião (aquele que cederá sua casa ou qualquer outro lugar para as reuniões). Essas três pessoas (ou três casais) sairão para começar a nova célula. É recomendável que o auxiliar e o anfitrião sejam novos convertidos ou, pelo menos, pessoas que mantém constante contato com os perdidos. O novo convertido tem um círculo de relacionamentos que ainda não foi saturado pelo Evangelho e, portanto, um campo maior para ganhar familiares e amigos. O primeiro mês da nova célula será dedicado à intercessão e ao jejum. Seus três membros se reunirão semanalmente e usarão uma estratégia chamada “Oração de Conquista”. Ela consiste no seguinte: cada um dos três escolherá do seu círculo de relacionamentos outras três pessoas, não convertidas. Essas nove pessoas indicadas então serão alvo de jejum e oração dos membros da célula pelo espaço de um mês. Durante esse período, elas serão contatadas amistosamente e, finalmente, convidadas para um “evento de colheita”, que pode ser um jantar, um chá ou qualquer outro programa atrativo onde se possa pregar a Palavra e oferecer a salvação.

Onde e quando se reúnem as Células?


As células podem reunir-se em diversos locais e em vários dias e horários. Entretanto, cada célula precisa ter o seu lugar e dia de reunião fixos. Isso pode acontecer numa residência (o mais comum), numa fábrica, num escritório, numa escola ou em qualquer outro lugar onde haja liberdade e ambiente apropriado para que a reunião transcorra sem entraves.

No nosso caso, daremos liberdade para que cada célula defina sua opção, evitando apenas células nas noites de segunda-feira, terças e domingos (quando acontecem as reuniões gerais da igreja). Isso, entretanto pode mudar, à medida que avançamos na experiência das células e vamos adequando nossas programações de maneira mais eficaz. Deve-se ter o cuidado na escolha dos locais de reunião, a fim de que a célula goze de toda a liberdade e não tenha o seu trabalho comprometido pelo ambiente. Um jovem solteiro, por exemplo, que queira oferecer sua casa para reuniões, precisa ter a concordância irrestrita de sua família e, inclusive, a sua cooperação para um ambiente apropriado. Esse cuidado deve ser observado em todos os casos.

A partir de que momento uma Célula é considerada consolidada?


O fato de se enviar três irmãos (um líder, um auxiliar e um anfitrião) para começarem uma célula não significa que esta célula vingou. Ela tem que ser confirmada, consolidada. Há uma possibilidade de que seus componentes não trabalhem bem e ela fique estagnada ou mesmo se desintegre.

Por isso vamos trabalhar com três níveis na avaliação de uma célula: em implantação, consolidada e madura.Uma célula será considerada em implantação até que tenha seis membros (ou casais) comprometidos e batizados. A partir daí ela será considerada uma célula consolidada e trabalhará para atingir seu ponto de maturação que é a multiplicação.

Quando uma célula não se desenvolve ou fica estagnada por muito tempo, providências precisam ser tomadas. Isso é responsabilidade do discipulador de doze que cobre aquela célula. Ele deve investir em oração e orientação junto ao líder para que haja um rompimento. Se isso não acontecer, a liderança da célula pode ser mudada ou mesmo seus membros serem transferidos para outras células, extinguindo-se a célula improdutiva.

QUAL O PAPEL DE UM LÍDER DE CÉLULA?


Ser um líder de célula deve se tornar o objetivo de cada crente na igreja. Isso porque ser um líder de célula é ter a possibilidade de fazer discípulos e isso corresponde à comissão que Jesus deixou a todos os cristãos. Entretanto, há exigências para que alguém chegue a esta função e responsabilidades que lhe serão cobradas quando chegar.Para ser enviada como um líder de célula, a pessoa precisa ser aprovada em seu trabalho e testemunho por aquele que a lidera na célula de origem.

Precisa, portanto, mostrar-se disposta, ensinável e submissa, trabalhando na célula, ganhando e consolidando vidas e cooperando naquilo que lhe for requisitado.

Além disso, ela precisa cursar a Escola de Líderes e ser aprovada ali. Uma vez enviada como líder de célula, esta pessoa precisará corresponder a uma série de responsabilidades e para isto ela será orientada e coberta pelo líder que a enviou.

Ao ser enviada, esta pessoa passa automaticamente a ser um dos doze discípulos de seu líder (de modo provisório, enquanto sua célula ainda não está consolidada, e definitivamente quando isso já tiver acontecido).


O QUE SE EXIGE DE UM LÍDER DE CÉLULA?


a. Que ele comande, incentive e coordene os membros da célula na sua tarefa principal que é ganhar vidas. b. Que ele dirija as reuniões e atividades da célula ou monitore seus auxiliares nesta tarefa. c. Que ele pastoreie diretamente os membros de sua célula, mantendo no mínimo um contato semanal com cada um deles. Se um membro falta à reunião da célula, o líder tem a obrigação de encontrá-lo até o dia seguinte, ainda que seja por contato telefônico. d. Que ele se esforce por ganhar e consolidar vidas e leve os membros da célula a fazerem o mesmo. Seu papel é encher o coração de seus liderados de amor pela visão, entusiasmando-os a vivê-la. e. Que ele envie o maior número de membros de sua célula para as Escolas de Líderes, a fim de que a multiplicação seja sempre possível. Para isto ele deve encorajar e cobrar dos membros disposição e acompanhar o progresso daqueles que aceitam o desafio. f. Que ele tenha um bom aconselhamento para os membros de sua célula e leve os casos mais sérios ou complexos ao conhecimento de seu discipulador, para que este intervenha ou lhe oriente no procedimento a tomar. g. Que ele apresente mensalmente todos os relatórios de presença e atividades da célula, de maneira organizada e precisa. Para isso, ele pode nomear pessoas na célula que o auxiliem.

Quais as estratégias de evangelismo na Célula?

• Além da “oração de conquista”, estratégia já descrita anteriormente e que deve ser usada o tempo todo, há infinitas maneiras de se ganhar vidas através da célula.

• Elas dependem da criatividade do líder e dos membros. Algo que vai ser muito usado e com sucesso é a “cadeira vazia”. Nas reuniões da célula, mantém-se sempre uma cadeira vazia, simbolizando alguém que ainda não foi ganho para Cristo.

• Todos reconhecem que está faltando alguém e oram para que aquela cadeira seja ocupada. Durante a semana trabalham, evangelizando e convidando conhecidos para a reunião afim de que este propósito se cumpra.

• Uma célula pode combinar um dia para sair de porta em porta, pregando para a vizinhança ou simplesmente oferecendo oração por seus problemas e convidando-os para a reunião.

• Este procedimento é interessante especialmente nas primeiras semanas de implantação de uma nova célula. Preparar um evento de colheita com a participação de ministérios de apoio como música, dança ou teatro é outra opção.

• A célula se responsabiliza por conseguir o espaço adequado (uma escola ou praça, por exemplo), providenciar a estrutura necessária, convidar a vizinhança e prover cobertura de oração para o evento.

• O aniversário de um membro da célula pode se tornar uma maravilhosa oportunidade de colheita.

• A família e amigos são convidados para uma festa, mas acabarão recebendo a Palavra. Enfim, o líder e sua célula precisam pensar todo o tempo em “como ganhar novas vidas”. Daí surgirão muitas idéias criativas e abençoadas.

Qual o número máximo de membros numa Célula?


Uma célula não tem um número máximo de membros definido, mas é inconveniente que ela se torne muito grande. Se isso acontecer é sinal de que está havendo uma disfunção: o líder não está sendo bem sucedido na formação de novos líderes, não está enviando gente para as escolas e por isso a célula está crescendo, mas não se multiplica. Para evitar essa disfunção, vamos trabalhar com alvos. Uma célula deverá ter até quinze (15) membros. Neste ponto ela já deve se preparar para a multiplicação. Vamos manter uma tolerância até quinze (20) pessoas. A partir daí, se não houver a multiplicação, o discipulador que cobre o líder da célula deve avaliar com maior critério a situação e interferir, se for necessário. Com as células de casais, trabalharemos com números diferentes. O limite máximo ideal será de dez (10) casais e o de tolerância, doze (12). É claro que estamos trabalhando com alvos e cada caso deverá ser analisado de maneira específica. Uma célula, por exemplo, pode promover um evento de colheita muito bem sucedido e ter o número de membros drasticamente aumentado em poucas semanas, sem que a formação de novos líderes tenha acompanhado esse ritmo de crescimento.É bom lembrar que só contamos como membro da célula aquela pessoa consolidada e já batizada. Os visitantes e os que estão em consolidação não são contados ainda, mas devem fazer parte das avaliações do líder e de quem cobre a célula. Um grupo, por exemplo, que tem dez (10) “visitantes” fixos por um bom tempo, não está sendo bem sucedido na missão de consolidar vidas. Por algum motivo, os novos não estão sendo levados a um compromisso através do batismo e isso deve ser resolvido.


Qual a dinâmica de uma reunião de Célula?


Uma reunião de célula precisa ter como alvo os não convertidos. Estamos falando, portanto, de pessoas que não conhecem a Palavra, não têm ainda um compromisso e talvez estejam receosas do que lhes vai acontecer. Exatamente por isso, a reunião deve ser leve, objetiva e o mais informal e descontraída possível. O primeiro cuidado que devemos tomar é com o tempo. Uma reunião de célula deve ter, no máximo, uma hora e dez (estourando!). É melhor deixar o visitante com um gostinho de “quero mais” do que enfadado e preocupado com o relógio. Não queremos “engessar” o mover de Deus, mas é importante ter um roteiro para uma reunião de célula normal. Eis uma base do que deve acontecer:


a. BOAS-VINDAS - O líder rapidamente promove a apresentação dos visitantes e lhes dá as boas-vindas.LOUVOR (5 min.) - Canta-se uma ou duas músicas (nos grupos onde não há quem toque, pode-se usar um CD e acompanhá-lo) ou pode-se apenas ter um período de oração e gratidão.

b. QUEBRA-GELO (10 min.) - Alguma dinâmica que promova a descontração do grupo, especialmente quando há visitantes (Exemplo: Pedir a cada um que resuma em uma frase o que de mais importante lhe aconteceu durante a semana ou abrir oportunidade para alguns testemunhos breves).

c. REVISÃO DA PALAVRA (5 min.) - Uma revisão da Palavra ministrada na ultima reunião de célula sempre deixando um ganho para a mensagem que vem a seguir.

d. MINISTRAÇÃO DA PALAVRA (25 min.) - O líder ou aquele que ele previamente designar trará uma Palavra, sempre com desfecho evangelístico. Essa mensagem normalmente será um desenvolvimento do que foi ministrado na grande celebração do domingo.

e. CONVITE PARA SALVAÇÃO E ORAÇÃO DE ENTREGA (5 min.) - Sempre que houver algum visitante não crente, um apelo claro deve ser feito, dando a oportunidade para que ele receba a salvação. Se isso acontecer, o visitante deve ser conduzido numa oração de entrega e quem o trouxe já deve providenciar sua consolidação.

f. PERÍODO DE ORAÇÃO (10 min.) - Tempo de intercessão pelas necessidades específicas de cada pessoa e pelos alvos da célula.

g. AVISOS E ATIVIDADES FINAIS (5 min.) - Período para transmitir informações importantes da igreja e da célula e oração final.

Quais as diferenças entre uma Célula e um Grupo Caseiro convencional?


Fomos acostumados por muitos anos com a dinâmica de grupos caseiros que visavam muito mais o crente do que o perdido. Sua ênfase principal era edificação, ensino, comunhão e pastoreamento. Nas células, embora estas coisas aconteçam, o objetivo maior é ganhar vidas para Cristo.Um líder de grupo bem sucedido entre nós era aquele que conseguia ajuntar muitas vidas em torno de si e, portanto, tinha um grupo numeroso. Na célula, isso pode ser sintoma de fracasso, pois o objetivo maior é multiplicar, enviando novos líderes para iniciar novas células.

Um líder de célula deve buscar ganhar vidas e direcionar o maior número possível dessas vidas ganhas e consolidadas para as Escolas de Líderes, onde serão treinadas para a multiplicação. Aqueles que este líder enviar formarão paulatinamente o seu grupo de Doze. Serão, portanto, seus discípulos, líderes sob sua supervisão direta. Em última análise, cada líder deve levar sua célula a reproduzir-se doze vezes, no menor espaço de tempo possível.


Para atingir seus objetivos, todos os membros da célula devem ser envolvidos em muito trabalho. Eles não estão ali para receber, mas para produzir. Por isso, todos devem orar, todos devem trazer visitantes e todos devem estar treinados e envolvidos no ministério de consolidação. Se cada pessoa se conscientizar de sua missão aqui na terra, seja quem for e abraçar esta visão celular de todo o seu coração, tenho certeza que em muito em breve ganharemos milhões de almas para o Senhor Jesus! O líder de célula deve portanto, contagiar seus liderados com a visão, a fim de que todos sejam encorajados a produzir frutos e envolver-se no trabalho. OBS. O líder deve estar contagiado com a visão para poder contagiar.


Estudos em Destaque