O  Proposito da adoração !


O Proposito da adoração !


João 12:1 ao 8 Foi, pois, Jesus seis dias antes da páscoa a betânia, onde estava Lázaro, o que falecera, e a quem ressuscitara dentre os mortos. Fizeram-lhe, pois, ali uma ceia, e Marta servia, e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele. Então Maria, tomando um arrátel de ungüento de nardo puro, de muito preço, ungiu os pés de Jesus, e enxugou-lhe os pés com os seus cabelos; e encheu-se a casa do cheiro do ungüento. Então, um dos seus discípulos, Judas Iscariotes, filho de Simão, o que havia de traí-lo, disse: Por que não se vendeu este ungüento por trezentos dinheiros e não se deu aos pobres? Ora, ele disse isto, não pelo cuidado que tivesse dos pobres, mas porque era ladrão e tinha a bolsa, e tirava o que ali se lançava. Disse, pois, Jesus: Deixai-a; para o dia da minha sepultura guardou isto;

Porque os pobres sempre os tendes convosco, mas a mim nem sempre me tendes.


Na adoração nossa mente ocupa-se com aquilo que Deus é e sua natureza sendo Ele santo, fiel, puro e verdadeiro. Na adoração, diante da santidade de Deus, acabam-se as palavras e temos a oração em línguas ou o silêncio onde nos encontramos exclusivamente com Deus. É quando o homem encontra a plenitude dentro dele. O amor do homem respondendo ao amor do Pai. A palavra Hebraica para adoração no Velho Testamento é shachah. É traduzida como prostrar, reverenciar, suplicar humildemente. É impossível entender adoração sem relacionar a uma atitude do corpo. Algumas vezes refere-se a levantar as mãos a Deus. Algumas vezes curvar os joelhos. Em Levítico 9:24, as pessoas colocavam o rosto no chão diante do poder do Senhor. A palavra mais usada para adoração no Novo Testamento é proskuneo. Essa palavra é usada mais de 50 vezes. É a combinação de duas palavras gregas pros que significa "ir para" e kuneo que significa "beijar". Proskuneo literalmente significa "ir para beijar". O significado da palavra é perfeitamente expresso pela mulher que lavou os pés de Jesus com lagrimas e então os beijou. Adoração é ter aproximação e contato com Deus. O adorador não irá a Deus como um pedinte, mas como um amante e admirador.


O Homem foi criado para adorar!

O homem é essencialmente uma criatura de adoração. Isto é parte da sua natureza. Sua escolha não é onde ou quando ele vai adorar, mas quem ele vai adorar. Na Bíblia, Deus ordena a sua adoração. Ele não compartilhará adoração com ninguém ou qualquer outra coisa. Quando o Diabo tentou Jesus no deserto ele disse: "todos os reinos do mundo eu te darei se prostrado me adorares", Jesus respondeu a ele: "pois está escrito, só o Senhor Deus adoraras, e só a Ele servirás (Matheus 4:10)." Isso ilustra o grande princípio de adoração. O que seja que adoremos, terminaremos servindo.



Quanto mais adoramos alguém ou alguma coisa, maior compromisso teremos, e mais semelhantes ficaremos com o que adoramos (Salmos 115). Adorar deve ser uma decisão final não podemos mudar nossa natureza nossa natureza nos manda adorar alguma coisa, nossa escolha deve ser sempre a de adorarmos Deus e não coisas! No decorrer do tempo o homem tem adorado ídolos de madeira, desejos físicos, dinheiro e posses, líderes políticos e falsas religiões. Toda falsa adoração é ditada e controlada por Satanás. Então, quando adoramos errado, estamos adorando Satanás. A mulher do poço em João 4, vemos um exemplo clássico de como ou onde adorar. A atenção de Jesus não estava em condenar os procedimentos da mulher mas sim satisfazer a necessidade de seu espírito de adorar verdadeiramente (Joao 4:23). É espantoso o fato de que Deus procura adoradores. O fato de Deus poder ser adorado é uma grande oportunidade para nós.


Em Espirito e em verdade!


Na frase "em espírito e em verdade", "em verdade" significa estar absolutamente aberto e ser honesto diante de Deus, sem esconder nada. Isto envolve expor nossa vida inteira a divina busca do Espírito Santo. " em espírito" refere-se a uma parte da personalidade humana. Nossa vida como um instrumento conduzido pelo Espírito Santo.


I Tessalonicenses 5:23 E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.


O homem como um ser tridimensional.


É composto de espírito, alma e corpo. O corpo do homem refere-se ao mundo pelos seus cinco sentidos (consciência do mundo); A alma do homem é sua própria consciência; O espírito do homem é a consciência de Deus; Deus é espírito e os que o adoram devem adorar em espírito e em verdade. A única forma de adorar é através do espírito. Isto é não é a alma ou corpo que adoram mas o espírito. Aqueles que verdadeiramente adoram são aqueles que seguem a Deus em seu espírito, mas fazem de acordo com a verdade da palavra de Deus. Paulo diz em Efe 5:18 "e não vos embriagueis com vinho, onde há exagero; mas seja cheio do Espírito." Estando cheio do Espírito, inevitavelmente estaremos nos envolvendo em adoração.


  1. A hora de adorar a Deus é agora, não ontem ou amanhã.

  2. Não devemos esperar o domingo para adorar.

  3. Não precisamos esperar até chegar na igreja.

  4. Deus está disponível para nós todo o tempo.


É muito difícil descrever o que é a adoração realmente. É mais fácil descrever o que o adorador faz. Adorador pode se prostrar, ajoelhar, declinar seu rosto em adoração, mas não é se prostrar ou ajoelhar que faz um verdadeiro adorador. Adoração é uma resposta a um relacionamento com Deus, mas um relacionamento muito íntimo é muito difícil de ser descrito. Isto envolve: companheirismo; revelação pessoal de Deus para o indivíduo; mas é basicamente um rendimento interior aos pensamentos de Deus freqüentemente acompanhados pelas emoções e ações expressivas do corpo. Devemos lembrar que é quase impossível descrever em palavras o sentimento interior e sentimentos que envolvem um relacionamento.


Se movendo na presença de Deus


Ações de graças, louvor e adoração devem ser comparadas as três áreas do tabernáculo de Moisés. O átrio representa Ações de graças; o santo lugar representa o louvor; e o santo dos santos representa a adoração. De acordo com Salmo 100, nós entramos em seus portões com ações de graças. Ações de graças relatam nossa gratidão pelo que Deus tem feito, sendo gratos. Como vamos ao átrio do templo nos preparando para ir ao Santo dos Santos, nós começamos relembrando o que Deus tem feito. Isto envolve muita ação do corpo (levantar mãos, bater palmas, gritar etc.).


Movemo-nos para o Santo lugar quando nós o louvamos.

Louvor é uma função da vontade que é representada pela mesa do banquete no Santo lugar. Isto também segue uma iluminação da mente que é representada pelo candelabro do ouro. Uma mente queimada pelo Espírito Santo, iluminada pelo poder da oração em línguas. O Louvor se torna como um aroma suave ou um incenso do altar de ouro que representa nossas emoções. Primeiro nós devemos louvar a Deus, então santificamos nossas mentes com o poder do Espírito, então nossas emoções tomam conta e nos levam a presença de Deus em adoração. Quando vamos ao ato final de adoração, temos o convite divino do Senhor mesmo que leva-nos debaixo do seu véu. Ninguém pode programar a si mesmo para adorar.


É um ato de vontade para agradecer a Deus, é um ato de vontade para louvar a Deus. É um ato da vontade de Deus para nos convidar a sua presença no ato de adoração e é somente quando o nosso relacionamento com Deus é consumado em adoração que nós verdadeiramente sentimos que estamos onde Ele está e Ele está onde nós estamos


A adoração abre o entendimento para vivermos em Deus!


A adoração abre a revelação daquilo que Deus quer fazer em nosso meio. Quando adoramos, a revelação se amplia, a glória de Deus se manifesta e entramos no Reino da Luz, na revelação da luz de Cristo. No livro de Efésios está escrito que o Senhor nos chamou, nos arrancando do império das trevas e nos deu uma graça riquíssima, chamado "dom gratuito de Deus". Em II Coríntios 4:4 Ele revela que debaixo da chamada para esse Reino de Luz, Ele nos revelou o Evangelho da doksa (glória) do Senhor Jesus Cristo. Debaixo desta revelação da doksa de Deus, nós estaremos na completude do Evangelho. Estamos tendo a revelação gradativa do que é a Boa Notícia de Deus.


A adoração arranca as guerras interiores


Quando entrarmos em profunda adoração, entraremos na cláusula da perfeição, onde o próprio Deus diz: "Eu procuro verdadeiros adoradores que me adorem em espírito e em verdade" (Jo. 4:23). E quando Jesus estava falando de adoração, pregava a uma estrangeira, inimiga dos judeus e que estava vivendo ilegalmente com um homem (Jo. 4:20-24). Por dez vezes Jesus fala a palavra "adoração" e dentro dessa chamada de adoração, Ele descobre o que aquela mulher tem dentro dela. Jesus arrancou as guerras interiores dela falando de adoração. Aquela mulher foi impactada, as crises da alma foram denunciadas enquanto Jesus falava de adoração. E, em seguida aquela mulher se tornou uma missionária em potencial, com Jesus lhe ministrando a adoração.


A adoração revela a verdade


Em Isaías 6:3 os serafins proclamam que o Senhor dos Exércitos é Santo, Santo, Santo. E adiante de Deus vai a verdade (Salmos 89:14), mas, para se manter a verdade no trono, haverá guerra. Observemos nossos filhos, tão pequeninos, já herdam a natureza adâmica, mentindo e levando até os pais a mentirem. Para alguém falar a verdade, se passa por uma guerra. Quando estamos ajudando os discípulos, depois de muito tempo eles abrem o coração para nós, mas, até esse momento, eles ocultam algo, guardando no coração.


Quando chega a verdade absoluta, essa pessoa fica desnuda diante da verdade. Mas, para isso ser confessado há uma guerra violenta.


A base do trono de Deus é justiça!


Para a justiça ser exercida hoje se faz guerra. Muitos que trabalham com a advocacia muitas vezes atuam debaixo de um complô e de uma cumplicidade. Para tornar a verdade em mentira e a mentira em verdade e convencer que o que é certo é errado e o que é errado é certo, devido a interesses pessoais e não interesse em estabelecer a verdade. Isso é desvio da ética, da moral, da sensatez da verdade. Para nos mantermos em integridade no Reino há uma guerra diária, e essa guerra não é feita por mim nem por você. Ela é feita por Jeová Tsavaot, o Senhor dos exércitos, que vai à frente do Seu povo dando capa-citação para vencer todas as batalhas.


Adoradores: Uma classe procurada por Deus


O Pai procura verdadeiros adoradores (Jo. 4:23). Ele procura uma classe, porque todos nós podemos ser adoradores momentâneos, temporários e, na hora em que chega a crise, acabamos por nos descontrolar e ficamos dizendo: "meu Deus, por que logo comigo?"


Não existe nenhuma outra classe da Bíblia que Deus procure: nem pastores, nem evangelistas, mestres, apóstolos, nenhuma, mas Deus tem uma classe especial na Terra que Ele procura: adoradores. E, quando respondemos a Deus como verdadeiros adoradores, conquistamos o Trono de Deus e Deus nos conquista. Assim, nada na Terra será empecilho para o adorador, porque este terá o coração em Deus e Deus terá o coração no adorador. A frequência do coração do adorador estará na mesma frequência do adorado; há uma cumplicidade. O coração do adorador está em linha com os pensamentos, sentimentos, força e graça de Deus. Todas as vezes que os homens conseguiram atingir o coração de Deus foi na adoração. Desde Adão até os apóstolos, só conseguia ter êxito o líder adorador. Você pode ser um excelente pregador, um excelente líder de células, um excelente administrador, um excelente coordenador de grupos, um excelente professor de escola de líderes, um catedrático, um doutor, pode ser pós-doctor, pode ter o que quiser, e tudo isso pode ser apreciado, respeitado e honrado por Deus, mas nenhuma dessas classes é procurada por Deus. Ele procura homens e mulheres que, independente de qualquer coisa, jamais deixarão de dar a Ele o perfeito louvor, a perfeita adoração. Deus vai levantar no MIR multidões de adoradores e a graça dEle, a revelação, a luz do Evangelho da glória de Cristo virão sobre nós.


Estudos em Destaque