O evangelho do cameleão



Lucas 13:24 "Respondeu-lhes: Esforçai-vos por entrar pela porta estreita, pois eu vos digo que muitos procurarão entrar e não poderão." Temos visto por intermédio da mídia e até mesmo por observação individual, o grande crescimento que as igrejas evangélicas, principalmente as neo-pentecostais têm apresentado ao longo dos últimos anos. O Brasil vem sendo apontado por inúmeros líderes conceituados em todo o mundo, como um país onde Deus tem promovido um grande “avivamento espiritual”. No entanto, olhando esse “avivamento” mais de perto, precisamos levantar alguns questionamentos:


1. Por que cresce o número de desviados?

2. Por que cresce o número de evangélicos “não praticantes”?

3. O que significa ser evangélico para essas pessoas?

4. Por que suas práticas têm sido tão rejeitadas pelos cristãos

históricos?


Mateus 24:24 “porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos.” Temos visto que o “evangelho” pregado em muitos púlpitos ditos evangélicos, está muito distante do Verdadeiro, contido nas Sagradas Escrituras. Começaremos então a descrever resumidamente alguns “evangelhos” que vêm ganhando destaque em alguns grupos cristãos. O “evangelho” das facilidades:


Lucas 13:24 "Respondeu-lhes: Esforçai-vos por entrar pela porta estreita, pois eu vos digo que muitos procurarão entrar e não poderão."


Este versículo nos mostra aspectos muito importantes no que diz respeito a Salvação:


1.Esforço: Para mantermos a Salvação, é necessário esforço! É necessário abandonar o pecado, deixar morrer a natureza terrena. Muitas pessoas têm tentado adaptar o Evangelho às suas vidas, quando Cristo nos ensina que somos nós quem temos que nos adaptar ao Evangelho através de uma vida de dedicação a Ele. Esforçar-se significa: renunciar ao pecado, resistir ao diabo, separar-se do mundo. Infelizmente, não é assim que temos visto muitos líderes ensinarem. Para muitos, a Graça de Deus nega que haja uma parcela de esforço individual para a Salvação, e através de uma hermenêutica vulgar, dizem que o que importa é crer em Jesus e ir a Igreja. Para estes, Deus aceita qualquer coisa, inclusive cultos sem santidade, com mãos “cheias de sangue” (Isaías 1:15). As conseqüências geradas por este tipo de “evangelho” já podem ser observadas: a mídia tem apresentado gente que se apresenta como evangélica, mas apóia o aborto, e posa nua, e mesmo sem sequer saber o que significa “nascer de novo”, professam ter certeza da Salvação. São as chamadas conversões psicológicas, as quais mencionaremos mais adiante. A Bíblia nos fala de uma porta estreita, na qual toda pessoa que por ela passa é salvo. Agora entendemos o porquê do esforço. É necessário deixar do lado de fora toda a “bagagem” que adquirimos neste mundo para passar por ela. Essa “bagagem” inclui o pecado, a soberba, a posição social, e tudo aquilo que o homem tanto gosta de se apegar. Por essa porta não passará o impuro Apocalipse 21:27 É necessário que o homem se lave com o sangue do cordeiro. Em uma de suas mensagens, o bispo J.C.Ryle afirmou:


“Essa porta é estreita por uma boa razão. É estreita demais para aqueles que amam o pecado e não querem afastar-se dele. É estreita demais para aqueles que amam os prazeres pecaminosos do mundo ou que não desejam incomodar-se com a salvação de suas almas. É estreita demais

para aqueles que possuem justiça própria e pensam que merecem ser salvos por causa de sua própria bondade.” O “evangelho” das facilidades não prega uma porta estreita. Prega uma porta larga, cheia de facilidades. Basta “aceitar a Jesus” e você verá bênçãos abundantes sobre a sua vida. É um “evangelho” voltado unicamente para a satisfação pessoal das pessoas. A pregação gira em torno da questão: “O que Deus pode fazer por mim?” É o “evangelho” dos direitos sem deveres. Muitos procurarão entrar por ela e não poderão”: Muita gente só compreenderá a verdade quando já for tarde demais. Cristo nos mostra que o tempo surge e nos convida hoje a deixar os falsos evangelhos e seguir ao Verdadeiro. Antes que seja tarde demais.


O “evangelho” da prosperidade:


Para muitas pessoas, se tornar cristão é o mesmo que adquirir um passaporte para um mundo cor de rosa. É se tornar um super-crente, que jamais fica doente, não bate o carro, não tem crises financeiras, nunca tem problemas, enfim, vive o céu na Terra.Mateus 16:24-25 “Então, disse Jesus a seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Porquanto, quem quiser salvar a sua vida perdê-la -á; e quem perder a vida por minha causa achá-la -á.” Quando se assume o compromisso de servir a Jesus, o que Ele nos garante é que todos nós teremos que carregar a nossa cruz. Quando assumimos este compromisso, nos disponibilizamos a sofrer e até mesmo morrer por amor a Ele. Infelizmente, esse “evangelho” doente que é pregado em muitos lugares, garante e promete aquilo que Deus nunca prometeu. Transforma igrejas em “shopping da bênção”, onde as pessoas vão buscar aquilo que precisam. “Tudo através da fé!” não que a fé não seja necessária, mais em nossos dias até mesmo a fé tem sido banalizada. Quantas pessoas têm se frustrado com esse “evangelho” que promete riquezas, e após algum tempo, saem das “igrejas” dizendo que “Deus falhou”. Não podemos nos esquecer nunca ao nos depararmos com esses movimentos, do seguinte ensinamento:


“Venha e sua vida será transformada da água para o vinho"

"Venha pra Jesus e todos os seus problemas serão resolvidos"

"Venhas e a sua conta bancaria nunca mais será a mesma"


Sabemos que Deus pode nos proporcionar muito mais do que pedimos ou pensamos, mais não do jeito que alguns estão fazendo! "Quem muito busca a bênção, pouco se importa com o Abençoador.”"Venhas e terás o que nunca tivestes na tua vida" O “evangelho” do homem-deus: A esse “evangelho” moderno, gosto de chamá-lo se “Síndrome do Homem-Deus”. Aqueles que são atingidos por esta enfermidade, crêem serem deuses, poderosos e senhores de si. O “evangelho” do Homem-Deus cria cristãos pela metade. São pessoas que aceitam a Jesus como Salvador, mas o rejeitam como Senhor. São pessoas que não aceitam estar debaixo do Senhorio de Cristo. Quem sofre desta síndrome busca só a benção" Quem muito busca a bênção, pouco se importa com o Abençoador.”


Aceitam ser filhos, mas não servos.


Não abrem mão de comandar a própria vida e ainda agem como se fossem deuses. Os portadores desta “síndrome” aceitam ter um Salvador, mas não um Senhor. Afinal de contas quem não quer um Salvador? Alguém que os tire da depressão, da doença, da crise financeira... Para essas pessoas, Deus passa a ser um servo delas, um criado que tem que realizar todas as vontades do Homem-Deus. Deus está acorrentado, pelas suas promessas... Longe de ser Senhor. Alguns transformaram Deus em gênio, basta fazer os três pedidos e pronto tudo esta resolvido. Os portadores desta “síndrome” se acham no direito de: Declarar e Profetizar: Muitos crentes crêem que podem, por exemplo, “chamar a existência coisas que não existem” quando o livro de Romanos atribui este poder a Deus e não aos homens, leia com atenção: Romanos 4:17 como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí.), perante aquele no qual creu, o Deus que vivifica os mortos e chama à existência as coisas que não existem. Somente Deus faz isto! Outros declaram prosperidade, cura, bênçãos, quando a bíblia nos afirma que isto pertence a Deus. O que a bíblia nos ensina é: pedir, rogar, implorar, interceder, suplicar. O fato destes se declararem deuses fazem com que os seguidores deste “evangelho”, usem a palavra de Deus para justificar os seus ensinamentos. Salmos 82:6 Eu disse: sois deuses, sois todos filhos do Altíssimo. João 10:34 Replicou-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: sois deuses? Certamente ambas as passagens mostram a ironia que Deus utilizou para mostrar justamente o contrário, que somos insuficientes e incapazes. A esse respeito, o evangelista Carlos Alberto Moreira escreveu: João 10:34 é usado para afirmar que somos deuses (ainda bem que por enquanto falam que é com ‘d’ minúsculo); Jesus estava se referindo ao Salmos 82. Basta darmos uma olhada com mais cuidado e exatidão nessa passagem para vermos que o sentido empregado pelo escritor destoa daquilo que quiseram ensinar. O verso 1 afirma que ‘Deus assiste na congregação divina; no meio dos deuses estabelece o seu julgamento’! No entanto, a partir do verso 2, vemos o que esses ‘deuses’ andavam fazendo: julgavam injustamente e ficavam do lado de ímpios. Deus recomenda que eles mudem esse procedimento (v. 3 e 4). No verso 6 o Senhor novamente afirma: ”Eu disse: Sois deuses, sois todos filhos do Altíssimo”. Logo depois no verso 7, o Senhor devolve o homem à sua realidade: Todavia, como homens morrereis e como qualquer dos príncipes haveis de sucumbir!”


Deus mais uma vez está ironizando a posição de soberba do homem: eles eram simples ‘deuses’ de barro, deuses que praticam o mal e que morrem! Não é uma bela contradição? (O Senhor deveria estar dando umas belas gargalhadas com os ‘deuses de meia-tigela’ com quem ele tinha de tratar!) Será que o Senhor não nos quer ensinar aqui, sutilmente, que, na verdade, Ele é que é o verdadeiro e único Deus e que, se existirem outros, são falsos, erram e mentem? Esta nossa avaliação não é muito mais honesta e realista do que qualquer uma dessas falácias e fábulas que andam por aí? É ruim1 do homem ser deus (mesmo com letra minúscula)! Esse é um ‘deus’ que qualquer dor de barriga um pouco mais forte derruba no chão. Esse ‘deus’ de meia-tigela definitivamente não serve para as nossas vidas. Essa tentativa frustrada de fazer o homem tornar-se e sentir-se como Deus já é antiga. É coisa do diabo. Foi ele quem insuflou essa idéia maligna e estapafúrdia no coração dos nossos primeiros pais (Gn 3:5, aquela conversa mole de que ‘sereis como Deus...’ no Jardim do Éden, lembra-se?). No caso da Torre de Babel o sintoma perverso é o mesmo (Gn 11:4, ‘edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo topo chegue até aos céus, e tornemos célebre o nosso nome,...”). Tudo girava em torno da tentativa de promoção pessoal e do desejo de ser como Deus (ser dono do seu próprio nariz), um reflexo direto do desejo do diabo de ser maior que Deus (Isaias 14:12-15; Ezequiel 28:11-18). Os resultados, todos nós sabemos quais foram.” Outra erro do avivamento do camaleão Dar ordem aos anjos: Trata-se de uma errada interpretação de Salmos 91:11 e Salmos 103:20. A esse respeito, George Camargo dos Santos “Será que podemos dar ordens aos anjos? Em Salmo 91: 11 lêem-se: Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos. No curso escolar fundamental é dito que o pronome "seu" tem a idéia de posse. Quantos anjos você tem para dar ordens? Quantos você criou para monitorá-los? Qualquer humilde crente interpretaria que o termo em questão representa Deus e não nós.


A soberba coloca crentes numa posição de cegos guiando de

cegos.”


A “síndrome” do Homem-Deus tem como causadores o orgulho e a soberba. Muita gente confunde o fato de ser filho de Deus, e acha que não é necessário humilhar-se ou submeter-se.

I Pedro 5:6 Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte.” Não somos deuses! Não temos que declarar ou ordenar nada! Precisamos

sempre nos lembrar que: Lamentações 3:22 “as misericórdias do Senhor são a causa de não

sermos consumidos.”


O “evangelho” do entretenimento:


Quantas são as pessoas que têm cometido o auto-engano de se deixarem levar pelo “evangelho” do entretenimento. Para estes, o fato de ir à igreja, é apenas um passatempo, onde se exercita o convívio social, e serve unicamente para o alívio do stress do dia-a-dia. Esse tipo de “evangelho”,

está disseminado entre as mais variadas denominações, e unido ao evangelho das emoções, geram uma sensação de bem estar, devido ao alívio das culpas que muitos cultos proporcionam, sem no entanto, gerar modificações profundas. Dentro desse grupo, observamos o mesmo fenômeno que acontece em grandes grupos sociais. Temos visto pessoas, que investem suas vidas na dedicação ao trabalho voluntário, por exemplo, em torcidas de times de futebol, outros em escolas de samba, outros em agremiações estudantis, e da mesma forma como conhecemos pessoas que “vestem a camisa” de uma entidade, muitas fazem o mesmo com uma igreja, sem no entanto ter nascido de novo.Temos observados ultimamente ainda algumas “igrejas” que promovem o chamado show gospel Os louvores são acompanhados por coreografias de balé, grupos de dança e em alguns lugares, são utilizadas luzes, que serve para entreter melhor os jovens e dar uma cara mais moderna ao culto. “Tudo pra Jesus!”, alegam. Não que isto seja errado dentro do verdadeiro culto a Deus, porém não temos o direito de transformar o altar de Deus em palco de show gospel. Alguns cultos do entretenimento ainda são embalados pelas grandes manifestações do poder da mente, utilizando práticas espiritistas,

psicológicas e emocionais. Surge então: regressão, fenômenos que muitas vezes não são interpretados por que o mais importante é ver a igreja cheia. Onde debaixo de emoções coletivas, muitos crentes agem de maneira irracional e descontrolada. Muitas vezes são usadas músicas e mantras e que se observarmos a letra destas musicas não condiz em nada com a palavra de Deus, mais como a música mexe com o emocional, muitos usam como fundo musical para acompanhar as orações e pregações. Hoje há muitos recursos inimagináveis para manipular a emoção das pessoas e criar conversões psicológicas. Tudo muito diferente dos “métodos” utilizados por Pedro no dia em que 3000 homens se converteram, quando este fazia a simples exposição das Escrituras. (Atos 2:37-41)


O “evangelho” do entretenimento, apresenta ainda uma pregação triunfalista, cuja ênfase está na necessidade do homem e não na sua condição de pecador. Palavras de ordem são repetidas, como: “Tudo posso naquele que me fortalece!”, “Sou mais que vencedor”, “Pelas chagas de Cristo fui sarado”, sem observar o contexto bíblico nas quais as mesmas estão inseridas. Para os triunfalistas, crente não fica doente, e se ficar é porque está em pecado, ou endemoninhado.

Se um crente passar por uma crise financeira, só pode se tratar de um açoite divino. Com base nestas “teorias”, podemos então concluir que o Apostolo Paulo e Timóteo estavam em pecado. Veja:I Timóteo 5:23"Não continues a beber somente água; usa um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas freqüentes enfermidades." Filipenses 4:11 ao 13"Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece." Talvez, você esteja pensando que este artigo defende o legalismo, mas não. Está sendo defendido aqui o retorno ao cristianismo bíblico. Toda interferência ou mudança humana quanto a pregação das Sagradas Escrituras, gera um "evangelho" sem valor, vazio e inútil.


Precisamos de um Avivamento genuíno e não Avivamento do camaleão.




Estudos em Destaque
Estudos Recentes
Arquivo

templodosmilagres.com.br |  Whats: (41) 3679-6534

 

Av. Alderico Bandeira de Lima, 1767
Campina Grande do Sul - Jd Paulista

quadrangulartemplodosmilagres@gmail.com

  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Twitter Icon

site desenvolvido por Matheus Pereira