A origem do Natal


NATAL FESTA CRISTÃ OU PAGÀ? DEUS APROVARIA ESTA FESTA?

Qualquer pessoa, por menos esclarecida que seja, sabe que o nascimento de Jesus é um fato incontestável. Qualquer Cristão, quando abre sua Bíblia em Lucas 2:11 encontra o anjo anunciando aos pastores no campo "Hoje, na cidade de Davi, nasceu o Salvador de vocês o Messias, o Senhor!" Que esperança, que alegria, que regozijo! Ele nasceu. A questão é sobre o que fizeram com a história.


De onde vêm às tradições Natalinas que o mundo comemora hoje? As quais tantos seguem com rigor, por que realizam o mesmo ritual todos os anos sem saber o significado verdadeiro destas festas? Qual foi a origem do Natal? O Natal é realmente a celebração do nascimento de Jesus? Jesus nasceu em 25 de dezembro? Os apóstolos que conviveram com Jesus e foram pessoalmente instruídos por Ele, alguma vez celebraram seu aniversário? Se o Natal é a festa mais importante do cristianismo, porque tantas pessoas que não são cristãs a comemoram? Se Deus ordenasse ou aprovasse esta festa teria ela tanta aceitação? Não queremos de forma alguma causar celeuma ou desvalorizar o nascimento do nosso Senhor e Salvador Jesus, Nem tão pouco confundir as pessoas, até porque Deus não é Deus de confusão! O desejo do meu coração é que sejamos esclarecidos! Só isso ! Você lembra como andávamos enganados a respeito de muitas coisas que julgávamos ser verdadeira, ou seja, a coisa certa? A finalidade desta obra e levar você a examinar as escrituras e deixar que o Espírito Santo faça a obra que ele julgar necessário.



Daniel 2: 22 “Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz”.



A ENCICLOPÉDIA BRITÂNICA


A Enciclopédia Britânica (edição de 1946) diz: “O Natal não constava entre as antigas festividades da Igreja... Não foi instituída por Jesus Cristo nem pelos apóstolos, nem pela autoridade bíblica. Foi tomada mais tarde do paganismo".





A ENCICLOPÉDIA AMERICANA


A Enciclopédia Americana (edição de 1944) diz: “O Natal de acordo com muitas autoridades, não se celebrou nos primeiros séculos da Igreja Cristã. O costume do cristianismo não era celebrar o nascimento de Jesus Cristo, mas sua morte. (A comunhão instituída por Jesus no Novo Testamento é uma comemoração da Sua morte). Em memória do nascimento de Cristo se instituiu uma festa no século IV. No século V, a Igreja Oriental deu ordem de que fosse celebrada para sempre, e no mesmo dia da antiga festividade romana em honra ao nascimento do deus Sol , já que não se conhecia a data exata do nascimento de Cristo".



A ENCICLOPÉDIA CATÓLICA

Enciclopédia Católica ( edição de 1911 ):

"A festa do Natal não estava incluída entre as primeiras festividades da Igreja. Os primeiros indícios dela são provenientes do Egito... os costumes pagãos relacionados ao inicio do ano se concentram na festa do Natal". Na mesma enciclopédia encontramos que Orígenes, um dos chamados pais da Igreja, reconheceu a seguinte verdade: “... não vemos nas Escrituras alguém que haja celebrado uma festa ou um grande banquete no dia do seu aniversario. Somente os pecadores (como Faraó e Herodes) celebraram com grande regozijo o dia em que nasceram nesse mundo". Segundo a enciclopédia Católica. O Natal não era festejado entre as primeiras festas da igreja. Trezentos anos depois de Jesus ter sido levado aos céus, nunca se ouviu falar, que alguém tenha comemorado o aniversário de Jesus, por uma simples razão: O costume judaico era celebrar a morte de pessoas importantes ao em vez do nascimento.

A Nova Enciclopédia de Conhecimento Religioso de Schaff-Herzog


Explica claramente em seu artigo sobre o Natal: " Não se pode determinar com precisão até que ponto a data desta festividade teve sua origem na paga Brumália ( 25 de dezembro ) , que seguiu a Saturnália ( 17 a 24 de dezembro ) e comemora o dia mais curto do ano e o nascimento do deus sol. As festividades pagãs de Saturnália a Brumália estava demasiadamente arraigadas aos costumes populares para serem suprimidas pela influencia crista. Estas festas agradavam tanto que os cristãos viram com simpatia uma desculpa para continuar celebrando-as sem maiores mudanças no espírito e na forma de sua observância. Pregadores cristãos do ocidente e do oriente próximo protestaram contra a frivolidade indecorosa com que se celebrava o nascimento de Cristo, enquanto os cristãos da Mesopotâmia acusavam os seus irmãos orientais de idolatria e culto ao sol por aceitar como cristã essa festividade pagã".


Wikipédia Google Natal


No ano 245 d.C., o teólogo Orígenes repudiava a idéia de se festejar o nascimento de Jesus "como se fosse um Faraó". Há inúmeros testemunhos de como os primeiros cristãos valorizavam cada momento da vida de Jesus Cristo, especialmente sua Paixão e Morte na Cruz. No entanto, não era costume na época comemorar o aniversário e portanto não sabiam que dia havia nascido o seu Senhor. Os primeiros testemunhos indicam datas muito variadas, e o primeiro testemunho direto que afirma que Jesus Cristo nasceu no dia 25 de Dezembro é de Sexto Júlio Africano, no ano 221.De acordo com o almanaque romano, a festa já era celebrada em Roma no ano 336 d.C.. Na parte Oriental do Império Romano, comemorava-se em 7 de janeiro o seu nascimento, ocasião do seu batismo, em virtude da não-aceitação do Calendário Gregoriano. No século IV, as igrejas ocidentais passaram a adotar o dia 25 de dezembro para o Natal e o dia 6 de janeiro para Epifania (que significa "manifestação"). Nesse dia comemora-se a visita dos Magos. A celebração do Natal de Jesus foi instituída oficialmente pelo Papa Libério, no ano 354 d.c.. Segundo estudos, a data de 25 de dezembro não é a data real do nascimento de Jesus. A Igreja entendeu que devia cristianizaras festividades pagãs que os vários povos celebravam por altura do solstício de Inverno.Portanto, segundo certos eruditos, o dia 25 de dezembro foi adoptado para que a data coincidisse com a festividade romana dedicada ao "nascimento do deus sol invencível", que comemorava o solstício do Inverno. No mundo romano, a Saturnália, festividade em honra ao deus Saturno, era comemorada de 17 a 22 de dezembro; era um período de alegria e troca de presentes. O dia 25 de dezembro era tido também como o do nascimento do misterioso deus persa Mitra, o Sol da Virtude. Assim, em vez de proibir as festividades pagãs, forneceu-lhes simbolismos cristãos e uma nova linguagem cristã. As alusões dos padres da igreja ao simbolismo de Cristo como "o sol de justiça" (Malaquias 4:2) e a "luz do mundo" (João 8:12) expressam o sincretismo religioso. As evidências confirmam que, num esforço de converter pagãos, os líderes religiosos adotaram a festa que era celebrada pelos romanos, o "nascimento do deus sol invencível" (Natalis Invistis Solis), e tentaram fazê-la parecer “cristã”. Para certas correntes místicas como o Gnosticismo, a data é perfeitamente adequada para simbolizar o Natal, por considerarem que o sol é a morada do Cristo Cósmico.


Segundo esse princípio, em tese, o Natal do hemisfério sul deveria ser celebrado em junho. Há muito tempo se sabe que o Natal tem raízes pagãs. Por causa de sua origem não-bíblica, no século 17 essa festividade foi proibida na Inglaterra e em algumas colônias americanas. Quem ficasse em casa e não fosse trabalhar no dia de Natal era multado. Mas os velhos costumes logo voltaram, e alguns novos foram acrescentados. O Natal voltou a ser um grande feriado religioso, e ainda é em muitos países.


Natal atualmente


Depois de muito tempo celebrando o Natal como o nascimento de Jesus Cristo, há não muito tempo atrás o Natal surgiu como forma de aquecer o mercado consumidor num período que não havia muitas vendas, devido as festas de final de ano (hemisfério norte) ou pelas férias (hemisfério sul). Desta forma a celebração do Natal está surgindo como mais uma ferramentas de marketing, e por este motivo o foco na celebração, na festa da família e do encontro dos amigos, faz com que pessoas solitárias ou que recentemente sofreram perdas possuem uma tendência mais forte para ficarem em depressão durante o Natal. Isso aumenta a demanda por serviços de apoio psicológico durante o período. Se não bastasse, muitos acidentes rodoviários devidos a motoristas alcoolizados, a excessos de velocidade e a manobras perigosas ceifam vidas desnecessariamente.


Natal no marketing


Nos países predominantemente cristãos, o Natal tornou-se o feriado mais rentável para estabelecimentos comerciais e também é celebrado como feriado secundário em países onde cristãos são minoria. É altamente caracterizado pela troca de presentes entre família e amigos, e presentes que são trazidos pelo Papai Noel (ou Pai Natal em Portugal) ou outros personagens. Tradições locais de Natal ainda são ricas e variadas, apesar da alta influência dos costumes natalinos de estado-unidenses e britânicos através da literatura, televisão e outros modos. Hoje, como dito anteriormente, o Natal está sendo uma forma de comercialização no período. Até mesmo em países não cristãos, como o Japão, a China e alguns países islâmicos, o Natal é celebrado mais como uma data comercial do que religiosa.



Haviam três festas reconhecidas!

São elas:


Mitra: Era uma divindade solar, Mitráica nome da festa de seu nascimento dia do vitorioso deus Sol, conhecido também como Baal esta festa era oficialmente da religião Persa, havia uma disputa muito grande com as outras festas. Logo os Romanos aderiram a este costume. Na época do imperador Constantino, o deus Mitra foi adorado como o guardião dos braços. Mitra foi visto como o protetor do exército Romano. O gesto mais comum de se cumprimentarem era o aperto de mãos, gesto com o qual os soldados Romanos mostravam que não estavam armados, era um gesto de amizade.


Solstício: Consagração ou veneração ao filho do deus Sol, conhecido também como Bel, festa realizada entre os Germanos e Celta. Os Romanos também aderiram estes costumes. Obs. Era muito comum nesta festa as pessoa acenderem fogueiras, mais tarde os adoradores do Sol, criaram a lareira não para se aquecer ou aquecer a casa e sim como forma de adoração ao deus Sol. Obs. Não há problema hoje em termos lareira dentro de casa. Desde que a mesma não tenha um sentido pagão.


Saturnália: (Honra ao venerável Sol ou nascimento do Sol). Era uma festa Romana; comemorava-se nos dias 17 a 24 de Dezembro onde o Sol era adorado e venerado como deus. Estas três festas seriam denominadas mais tarde comoSolstício de inverno e Natillis invictus solis (o nascimento do invencível deus sol).


Resumo histórico é muito importante ler para termos uma idéia geral!

Mitra era adorado como deus-sol


Era (uma religião de iniciação secreta, com graus, semelhantes aos existentes na maçonaria Mitra era adorado como deus-sol) e comemorado entre os dias 24 e 25 de dezembro, quando, segundo a lenda, teria nascido de uma enorme rocha Seu nome, de raiz indo-européia, significa: "troca", "contrato" e "amizade" justamente como é considerado: "amigo de todos" Como Baal e Mitra já eram conhecidos dos romanos, Aureliano (212-275 d.C.), imperador de Roma, estabeleceu, no ano de 273 d.C. , o dia do nascimento do Sol em 25 de dezembro - "Natalis Solis Invicti " que significa: "nascimento do Sol invencível") . Foi a partir desse ponto que todas as forças do paganismo se uniram para atacar frontalmente a igreja do Senhor Jesus, aliciando, enganando e infiltrando as doutrinas de iniciação aos mistérios para dentro da igreja.


O catolicismo romano foi um dos resultados disso. Mas, para que o plano desse certo, apareceu Constantino (317-337 d.C.), imperador de Roma, com uma nova maneira de abordar os cristãos. Segundo uma lenda, antes da batalha contra Maxêncio, ele teve uma visão da cruz contra o sol, e uma mensagem que dizia, "por este símbolo tu vencerás". Constantino era adorador do Sol, mas não há provas que ele fosse membro do mitraísmo, em cujos rituais eram usados pães marcados com uma cruz.


De qualquer maneira, este símbolo é evidentemente pagão. Conseguindo a vitória, Constantino, aparentemente, apoiou os cristãos e decretou o Édito de Milão em 313, dando liberdade de culto aos cristãos e trocando, dessa forma, a perseguição pela tolerância tão desejada. Mas também "estava resolvido a recompensar a religião de seu novo patrono de maneira digna de um Imperador Romano”. Privilégios e grandes somas de dinheiro foram doados às igrejas de todas as municipalidades" Ele "legalizou" o cristianismo perante o mundo pagão e "os sacerdotes cristãos tiveram direito à mesma insenção fiscal concedida aos de outras religiões" Na verdade, Constantino igualou o "cristianismo" com o paganismo. Realmente, foi uma boa estratégia. Os cristãos, antes cruelmente perseguidos, agora, receberam do imperador a liberdade de culto, e passaram a enfrentar um novo problema: a interferência do Estado na Igreja . Constantino comprou os sacerdotes romanos, conseguiu aliciar, e de fato, governou a igreja de Roma, e introduziu nela os ritos pagãos Como adorador do Sol, não resta dúvida a sua influência: ele fez do dia 25 de dezembro uma festa cristã para que se celebrasse o nascimento de Cristo. Em dezembro era celebrada a festa dos Saturnais, dedicado ao deus Saturno, que durava cerca de quatro dias ou mais.Segundo criam os pagãos romanos, este deus habitava no Lácio - nome proveniente de ter ele se escondido naquela região - Lateré - que significa esconder-se, ocultar-se. E tendo sido recebido pelos homens, lhes ensinou a agricultura, trazendo, segundo a lenda, a chamada "Idade do Ouro". As Saturnais procuravam repetir esse período, fazendo uma espécie de feriado, quando ninguém trabalhava, os tribunais e escolas eram fechados havendo nessa festa um fato importante: "os escravos recebiam permissão temporária para fazer tudo o que lhes agradasse, e eram servidos pelos amos". Anteriormente, era coroado um rei, que fazia o papel de Saturno, quando "usufruía todas as prerrogativas daquele deus durante um tempo e depois morria, por sua própria mão ou sacrifício".Esta festa era uma espécie de carnaval, e se dava no chamado solstício de inverno.



Vamos entender o significado de solstício: A Terra, ao girar em volta do sol, forma uma trajetória que é chamada de eclíptica. Porém, como o eixo de rotação da Terra não está perpendicular à eclíptica, mas ligeiramente inclinado, o sol, na maior parte do seu curso aparente no céu, não passa exatamente em cima do equador, mas fica inclinado. Há somente dois períodos do ano em que ele passa em cima do equador que são os períodos de equinócio. Quando ele se inclina o máximo, tanto para o norte, como para o sul, dá-se o que chamamos de solstício. Para quem vive no hemisfério norte, quando o sol se inclina o máximo para o norte, dá-se o solstício de verão, iniciando a estação de verão, e quando ele se inclina o máximo para o sul, ocorre o solstício de inverno, dando a estação de inverno, que em certos lugares chega a ser tão rigoroso que não há trabalho.


Realidade brasileira


No Brasil, que se situa no hemisfério sul, o solstício de inverno se dá em junho, (o Natal ocorre no verão). Nesta época, temos as chamadas "festas juninas", quando as tradições pagãs e natalinas são também apresentadas nas tradições da festa da fogueira, comidas típicas, danças, etc. Conhecendo, então, o "sumiço" aparente do sol em certas regiões, fica fácil entender como surgiu o culto ao sol. O sol tem sua representação no deus greco-romano Apolo, considerado como "Sol invicto". e seus equivalentes entre outros povos pagãos, são diversos: Ra - o deus egípcio; Utu - dos babilônicos; Surya - da Índia; e também Baal e Mitra. Todos estes e as Saturnálias deram origem ao dia 25 de dezembro, como o dia do sol. Baal, por exemplo, era o Abominável deus dos cananeus, e seu nome significa "senhor”. Considerado o deus das montanhas, das tempestades e da chuva, simbolizava a plenitude da vida, e em sua mão estava o poder de provocar as chuvas, o nascimento das fontes, e a fertilidade da terra. Quando o Império Romano conquistou várias partes do mundo antigo, essa divindade acabou entrando no panteão Romano, através dos escravos importados e mercenários sírios, tendo grande aceitação principalmente porque os romanos procuravam "novas experiências espirituais". No seu culto eram imoladas crianças e adolescentes, a ponto de seus rituais serem proibidos pelo imperador Adriano (76-138 DC). Sua prática passou para a clandestinidade e, posteriormente, como as religiões egípcias, seus cultos foram depurados e desligados das tradições bárbaras. Logo, se transformaram em "severos códigos morais", elevando-se à "sabedoria dos mistérios", tal como se deu com o mitraísmo. Quanto à Mitra - deus indo-iraniano - era muito apreciada no exército romano onde apenas homens participavam em recintos fechados - gruta - chamada de “Mithraeum" ou "Spelaeum", muito comum dentro de Roma .



Sincretismo religioso


Ele fez da festa de Mitra, Baal, Osíris, Apolo, e outros deuses abomináveis, a festa do nascimento de Cristo - Uma forma de sincretismo religioso. Talvez, Constantino seja considerado convertido a Cristo. Se isso for verdade, porém, ele foi devidamente utilizado para a circunstância. Esta é uma prova de que a sinceridade não livra ninguém dos erros da ignorância, e nesse caso, ignorância espiritual é um pecado. Repito: se Constantino realmente era salvo pelo sangue de Cristo , isto não quer dizer que ele não foi utilizado por Satanás. Mas há evidências de que sempre existiram verdadeiros cristãos que não comemoravam o Natal. Talvez poucas, pois, a História (dos homens) jamais se preocuparia em registrar evidências que não sejam para agradar o mundo. Porém, sempre escapa algumas dessas provas: "a comemoração do Natal a 25 de dezembro não foi passivamente aceita por todas as igrejas cristãs, em virtude de sua identificação com a festa pagã do solstício. “A controvérsia levou o clero armênio a considerar os sacerdotes romanos como idólatras”. (24) “Não se sabe a data precisa do nascimento de Jesus”. “Os primeiros cristãos não celebravam Seu nascimento porque consideravam a comemoração de aniversário um costume pagão”.


A SUPOSTA CONVERSÃO DE CONSTANTINO



Fizemos questão de relatar os comentários acima, para que você tenha uma idéia de como tudo começou. Á historiadores quem dizem que o Imperador Constantino Após ter vencido a guerra de Maxêncio se convertera ao cristianismo de verdade, ele liberou os soldados para participarem dos cultos; coisa que era proibido por Roma; Estabeleceu o dia de Domingo para que todos pudessem cultuar a Deus, deu autoridade para seu conselheiro Eusébio bispo de Cesárea confeccionar 50 cópias da bíblia e que fossem enviadas para Constantinopla. Segundo o manual Bíblico de (Henry H. Halley) nas páginas, (658) revela que Constantino vendo que os cristãos da época estavam cada vez mais envolvidos com aquelas festas pagãs e adorando o filho de Deus como sol físico, proporcionou a estes cristãos do século IV o direito de chamar a festa de 25 de dezembro, dia do nascimento de Jesus. Ele achou que esta atitude acabaria ou suplantaria as festas pagãs ao deus Sol. Mais uma vez podemos afirmar que Esta é uma prova de que a sinceridade não livra ninguém dos erros da ignorância, e nesse caso, ignorância espiritual que é um pecado.


Constantino fez a coisa certa da maneira errada!


Se estes historiadores estiverem certos, Constantino fez a coisa certa da maneira errada. Eu acredito que ele em seu modo de pensar dizia: Se Jesus é o sol da justiça como dizem as escrituras, porque não projetá-lo nesta festa? Ao em vez desse povo adorar estes deuses como filho do sol porque não Jesus o sol da justiça? A idéia na teoria parecia brilhante e agradaria muitas pessoas. Porem os cristãos do Oriente e do Ocidente protestariam contra a frivolidade indecorosa com que se celebrava o nascimento de Jesus. Os cristãos da Mesopotâmia (antiga Babilônia) acusavam os irmãos Ocidentais de idolatria e de cultuar o deus Sol e por aceitarem como cristã aquela festa pagã. E com razão as pessoas sem serem convertidas vinham participar da festa e traziam seu paganismo. Os líderes da Igreja Católica Romana preocupados com aquela situação resolveram o problema com muita sutileza. A Igreja já possuía grande poder religioso e governamental; Faltava o poder comercial. Aquelas festas não eram festinhas quaisquer; Elas promoviam diretamente e indiretamente o comércio e o crescimento financeiro de muita gente. Eles tinham agora em suas mãos o poder que lhes faltava, o poder comercial e a chance de envolver em uma só festa quase todos os comércios da época. A ambição dos líderes leva o Papa Liberio oficializar no dia 25 de dezembro a festa do solstício.


Observe que até este período da história não se tem noticias de que se comemorava Natal! Esta festa tinha anteriormente os três nomes relacionados acima. Só mais tarde é que o Papa Júlio I oficializaria o dia 25 de Dezembro com o nome de Natal. Na continuação você descobrirá o porquê deste nome. Nesta busca de tentar resolver a questão de como ficaria aquela festa pagã, eles tinham um grande problema! Quem seria o personagem desta festa? As maiores autoridades da Igreja Católica reconhecem na história, um homem por nome São Nicolau.



A HISTÓRIA DE SÃO NICOLAU ( Papai Noel )


São Nicolau nasceu em Patara (hoje conhecida como Turquia) na Ásia, no ano 350 d.C. Filho de Epifânio e Joana, esta família era muito religiosa e rica. Desde cedo Nicolau tinha no coração o desejo de ajudar as pessoas menos favorecidas. Após a morte de seus pais, Nicolau foi convidado por um tio para que conhecesse a terra santa. A história conta que nesta viagem ouve uma grande tempestade e que só teria parado após Nicolau ter feito uma prece. Por este motivo é que até hoje em muitos lugares São Nicolau é o padroeiro dos marinheiros, pescadores e navegantes.


Após o retorno desta viagem, São Nicolau resolveu mudar-se para Myra. Mais tarde se tornaria herdeiro de uma grande fortuna. Conhecendo os dogmas da sua própria igreja, chegou a conclusão que se tornando padre, aquela fortuna seria passada literalmente para a igreja. Nicolau resolveu gastar toda sua fortuna com os pobres. Fazia suas caridade no anonimato. Muitos afirmam que São Nicolau tinha tanto dinheiro que por muito tempo beneficiou centenas de milhares de pessoas em varias províncias.



HISTÓRIAS QUE SE CONTA ATÉ OS DIAS DE HOJE


Em Pantora, um velhinho guerreiro do exército de Roma, chamado Licondro, se tornara muito pobre e arruinado. Suas três filhas queriam se casar, ele porém não tinha dotes a pagar ,e no auge da depressão, resolve vendê-las como escravas, pois elas passavam fome. Quando Nicolau soube do fato, secretamente, numa noite, jogou pela janela três sacos de dinheiro. Nicolau gritou no meio da escuridão: O velho guerreiro, Deus é quem te envia este socorro. E na calada da noite, no meio da escuridão fugiu por não querer ser identificado. Conta-se que numa noite do dia 24 de dezembro; Nicolau ao arremessar o saco de dinheiro pela janela, o pacote caiu dentro de um sapato ao lado da cama. Daí que se originou a idéia de deixar os sapatos junto da cama, na véspera do solstício, afim de que Nicolau deixasse o desejado presente. Há quem afirme que numa daquelas noites, uma família muito pobre carecia de ajuda financeira, quando o justiceiro isto é o e bom velhinho descobriu, foi até aquela casa e vendo que as janelas estavam fechadas, jogou pela chaminé um saco de moedas fazendo um enorme barulho derrubando algumas meias que estavam secando num varal encima do fogão. Após estes acontecimentos todos as pessoas colocavam meias nas chaminés das casas esperando o justiceiro da noite. Até hoje em muitas nações isto é uma tradição desacerbada. Sempre que Nicolau deixava ou lançava um saco de dinheiro deixava um bilhete no peitoral da janela ou dentro do saco de dinheiro com os seguintes dizeres: Deus é que te enviou este socorro. Alguns historiadores dizem que as frases eram mais sugestiva ainda, por exemplo: O menino Jesus te enviou este socorro!


COMO NICOLAU SE TORNOU BISPO DE MYRA


Alguns anos depois o bispo de Myra morreu; e conta-se que os anciãos da cidade queriam um sucessor. Eles resolveram colocar nas mãos de Deus. Segundo a lenda, na mesma noite da decisão, o ancião mais ilustre e respeitado pela sua devoção religiosa daquela cidade tivera um sonho. Neste sonho Deus lhe dissera: “O primeiro homem que entrar na igreja, no dia seguinte, será o bispo de Myra”.


Nicolau era acostumado a acordar cedo para rezar todos os dias, porém naquele dia ele acordou mais cedo do que de costume.Com este gesto ele se tornaria o bispo de Myra. São Nicolau morreu no dia 6 de Dezembro dia de sua festa litúrgica. Após a morte de São Nicolau foi descoberto que ele realmente era o bom velhinho, o justiceiro dos pobres e desamparados. Com esta grande descoberta a igreja Católica não hesitaria S.Nicolau seria o personagem oficial da festa de solstício de inverno.



OS FRANCESES PROTESTARAM!


Tamanha foi à frustração quando a Igreja Católica descobre que boa parte do povo Franceses não queriam São Nicolau como personagem desta festa. No século XVI, depois da reforma protestante, sobretudo na França o povo estava completamente dividido; Por um lado o Neomanismo, negando a divindade de Cristo, por outro lado pessoas que não aceitavam São Nicolau como símbolo ou personagem daquela festa. O que fazer? Os Católicos adoradores de São Nicolau logo se apoderaram de sua figura, porém para não deixar de fora uma grande massa humana que não concordavam com São Nicolau, eles tiveram uma idéia: porque não criar um personagem que agrade a todos? E que ao mesmo tempo não agrida o credo religioso? Eles sabiam que aquela festa tinha uma expressão comercial em quase todo o mundo. O brilhantismo e a criatividade dos lideres Católicos mudaria a história da humanidade para sempre.


MESMO QUE TROQUE A COLEIRA O CACHORRO CONTINUA O MESMO


A princípio o personagem seria chamado de PAPAI DO CÉU, porém muitos não concordariam com este nome, o que fazer então? Surge então a idéia de se colocar o nome de PAPAI NOEL. No início, os cristãos de outros países achavam que o significado de papai Noel era o mesmo que papai do céu. Papai é uma palavra usada por todos! Agora porque Noel? Simplesmente para mudar o nome da festa de Solstício de inverno para Natal e a palavra Natal em francês significa Noel.


O PAPAI NOEL


Dentre todos os símbolos, este é o que aparentemente não tem ligação com o paganismo das civilizações antigas. E sim do paganismo mais recente. Provavelmente, o Papai Noel surgiu no século passado, quando Thomas Nast, pintor norte-americano, criou esta figura sorridente de barbas brancas.


Muitas pessoas pensam que o Papai Noel seja o elemento principal que deu origem ao crescente consumismo das festas natalinas o que não deixa de ser verdade. Porém, se analisarmos melhor veremos que, mais do que o consumismo, ele tem uma importância fundamental para realçar o Natal. Quando examinamos a origem pagã do Natal, buscamos as fontes no passado, quando os cultos a deuses estranhos eram de grande importância para os pagãos. O pretexto para manter aqueles cultos foi colocar o Senhor Jesus no meio de uma festa que não tem nada a ver com Ele. Atualmente, os rituais foram mantidos, mas os deuses foram esquecidos, e a pessoa do Senhor Jesus se torna dispensável, pois, para o mundo, não tem a menor importância se o Natal corresponde ou não ao nascimento de Jesus.


SÓ OS CRENTES MAL ESCLARECIDOS E OS PAGÃOS DEFEDEM ESTA FESTA


Somente os crentes na sua ignorância espiritual como também os pagãos defendem estas festividades pagãs, é que seria interessante manter esta grande mentira. Para os católicos, seria também interessante manter a festa de Natal, como o nascimento de Cristo, mesmo sabendo que é uma grande mentira. Restou, portanto, para o mundo em geral, a necessidade de um ídolo que fosse mais conveniente para manter "o espírito do Natal”, visto que nem todo mundo poderia ser tão "religioso". Este ídolo teria que servir tanto para os católicos menos fervoroso, bem como para os crentes ecumênicos , como também para os ateus. Pois, o importante é a imagem, os ritos mágicos, e o espírito do Natal. No passado, houve cristãos fiéis que combateram estas festas, como já foi mencionado. Os puritanos, na Inglaterra, proibiram os festejos natalinos em 1644, tendo o mesmo ocorrido na Escócia. Esta proibição conseguiu atingir os territórios puritanos dos EUA, que só comemoraram o Natal cerca de 200 anos depois, em 1836. Tinha-se de manter, portanto, um meio de garantir a festa de Natal. Era necessário criar uma imagem que fosse bem aceita pelo público - uma imagem agradável - definitivamente associada à festa de Natal. E o Papai Noel foi criado especialmente para cativar as crianças - criando desse modo um laço de afetividade que dificilmente seria destruído, mesmo quando esta criança, se tornando adulta, soubesse que o Natal é uma grande mentira. E quem hoje, entre os cristãos, aceitaria combater esta festa que, na verdade, é uma abominação? Existe uma grande pressão, que infelizmente influencia o próprio meio evangélico.


É o Papai Noel quem move a festa


Não há mais Mitra, nem Apolo ou Baal no panteão de algum povo. Na festa de Natal sobraram apenas os símbolos: a guirlanda, a árvore, os presentes, as velas, os enfeites, as estrelas objetos inanimados, de origem pagã, mas nenhuma figura viva. Porém, é o Papai Noel que está em destaque, e não o Senhor Jesus; é o Papai Noel quem move a festa, a quem se atribui à distribuição dos presentes uma grande mentira - pois, até as crianças sabem de onde vem o dinheiro do presente. Mas, ele é tido como benfeitor e amigo de todos (como Mitra), simplesmente porque o Papai Noel é a reencarnação de Baal, Apolo, Osíris e Mitra. Nunca esqueça que o velhinho que dão o nome de papai Noel é uma corruptela ou armação do nome São Nicolau. Colocaram Jesus no lugar de Bel o filho do deus sol, para enganar os cristãos da época; substituíram Jesus por São Nicolau para agradar os idólatras, e São Nicolau foi substituído porPapai Noel para agradar a maioria. As pessoas lembram do nascimento de Jesus, exaltam a São Nicolau como o bom velhinho, mas quem está na moda é Papai Noel. Observe quem é que aparece em todas as propagandas comerciais, em todas as decorações sempre o velhinho. Jesus é só o pretexto para que os cristãos não fique de fora desta festa pagã!Para mim está bem legível você pode querer chamar um gato de coelho mais ele continuará sendo gato.


NATAL NÃO TEM NADA HAVER COM DATA NATALÍCIA


Os celebres da época, para justificar sua nova criação, não hesitaram em manipular os dicionários. Os grandes estudiosos afirmam que os dicionários em sua maior parte eram escritos e compilados pelos católicos. Neste engodo, o universo religioso cristão se renderia diante das criações feitas pelo clero. Nesta época a Igreja Católica mandava no mundo. Infelizmente as pessoas eram obrigadas a obedecer, ficar contra a igreja era ser condenado ao fracasso e até mesmo a pena do castigo eterno, a palavra do Papa era lei. Mesmo que você ache a palavra Natal ou data natalícia na Bíblia, não se assuste. Lembre-se de que os primeiros a traduzir a Bíblia sagrada para a Língua Portuguesa, foram os Padres João Ferreira de Almeida e o Padre Antônio Pereira de Figueiredo. Não podemos afirmar que foram eles os culpados, mas podemos garantir que nas línguas em que foram escrita a bíblia sagrada isto é no Grego, Aramaico, como também no Hebraico não se originam a palavra Natal ou natalícia(o). Esta palavra não fazia parte destes idiomas; A bíblia sagrada sempre usou a expressão. Cidade de seus pais, lugar onde nasceu, terra onde nasceu ! Hoje faz parte do nosso idioma mais não é da nossa raiz. Exemplos:


Nos Brasileiros somos famosos e conhecidos no mundo inteiro como o pais do futebol, porem a palavra futebol não tem nada haver com a nossa língua é uma palavra Inglesa, feet significa pés bola significa Ball logo jogar bola com os pés é futebol! Os prefixos bi e tri vêm do latim, mais tetra, penta, hexa, hepta, octo, enea e deca vêm do Grego. Não faz parte da nossa Raiz lingüística, mas aos poucos estes prefixos começam a fazer parte do nosso idioma e você pode encontrar estas palavras no nosso dicionário com a maior facilidade. Com a palavra Natal não foi diferente! Talvez você esteja dizendo: O que tem haver uma coisa com a outra! Tudo! Preste atenção continue a leitura. A palavra Natal não tem nada a ver com nascimento.


Não é só na língua portuguesa! Para que você tenha uma idéia à palavra nascido (a) em Inglês significa Bornnascimento birth; Porem quando você traduz a palavra Natal para o Inglês é Christmas, mas quando você traduz a palavra Christmas para a língua Francesa não da uma conotação de nascimento e sim Noel Seria uma coincidência? Quem é Noel? São Nicolau! Um dos santos da igreja católica. Por motivo de força maior os Franceses tinham muita dificuldade de aceitar São Nicolau como personagem central da festa pagã. Como os franceses na época tinham um grande poder comercial os lideres da igreja católica simplesmente trocaram o nome de São Nicolau por Pére Noel, ou seja, Papai Noel. O personagem é papai Noel e a festa tem o mesmo significado Natal. Então Natal é Noel, Christmas é Noel! Sua transformação em símbolo natalino aconteceu na Alemanha e daí correu o mundo. Alemanha: Weihnachtsmann (ou Nikolaus) Dinamarca: Julemanden Espanha e Argentina: Papá Noel Estados Unidos: Santa ClausFinlândia: Joulupukki França: Père Noel Inglaterra: Father Christmas Itália: Babbo Natale Países Baixos: SinterklaasRússia: Babouschka Colômbia e México: Niño Jesús todos estes nomes tem o mesmo significado Noel ( São Nicolau) Como sempre eu digo satanás só troca a cólera o cachorro é o mesmo!


ESTA FESTA É COMEMORADA DE VÁRIAS MANEIRAS NO MUNDO INTEIRO.


Itália: As crianças esperam a visita de Befana. Ela é uma bruxa feia. Conta a história que os 3 reis magos, em sua viagem pelo deserto pediram a uma velha senhora, comida e abrigo, porém ela se recusou. Esta velhinha nunca se conformou. Ela então saiu ao encontro do menino Jesus e tenta encontrá-lo até os dias de hoje. Onde existe alguém que comemora o Natal ela vem e traz presente. Ela é conhecida na Itália como rainha das fadas, a velha ou bruxa, o Natal é comemorado no dia 6 de janeiro.


México: As famílias fazem uma procissão com as crianças carregando uns santinhos de Jesus, Maria e José. Durante a comemoração os convidados, com os olhos vendados, tentam quebrar um pote de barro decorado e pendurado na laje ou na viga da casa. Quando alguém consegue quebrar o pote, cai uma verdadeira chuva de pequenos brinquedos juntamente com doces e balas. As crianças fazem a maior festa com as balas, doces que caem junto aos presentes. Este ritual pagão já se encontra em muitas festas de aniversário no Brasil, o vaso de barro só foi substituído pelos balões ou bexigas.


Índia: O Natal é comemorado com as casas iluminadas. Muitos decoram os pés de manga e as bananeiras enfeitando-as com vários objetos típicos da região. Os Indianos enfeitam suas casas com folhas de manga, eles dizem que isto traz muita prosperidade e harmonia para o lar. Em alguns lugares, lâmpadas de argila são acesas com óleo, para trazer a energia positiva para o espírito e alma.


China: Bem antes do Natal as casas são iluminadas com lanternas de papel. As árvores são ornamentadas e as chamam de árvore luz. Crianças penduram meias de musselina e esperam papai Noel. Esta comemoração é no ano novo Chinês no final de janeiro, as crianças recebem roupas, brinquedos e são servidas de pratos especiais, dentro da sua cultura.


Suécia: Há 100 anos o Rei Canute declarou que o Natal deveria durar um mês: eles comemoram de 13 de dezembro a 13 de janeiro. Na noite de Natal, a filha mais velha de cada família, veste-se de branco com uma caixinha vermelha amarrada na cintura e deve usar grinaldas de folhas verdes na cabeça com 7 velas acesas. Ela por sua vez deve levar café e bolinhos para cada membro da família em seus próprios quartos. Na véspera do Natal um gnomo chamadoTonte, sai de sua casa debaixo do chão, ou do celeiro e com um saco nas costas cheio de presentes, sai distribuindo para todos os que o recebem. Atualmente, esta festa começa no dia 6 de dezembro dia de São Nicolau.


Japão: O Natal no Japão surgiu com os padres e missionários. É cheia de misticismos, a troca de presentes é obrigatório. Na semana de Natal os pais invadem as lojas; só nesta época do ano é que eles contam para seus filhos a história do nascimento de Jesus. O que mais chama a atenção das crianças é que Jesus dormiu numa manjedoura, já que no Japão os bebês não dormem em berços. Além da troca de presentes, os Japoneses comem peru no dia de Natal como se fosse um talismã. A galinha não pode ser saboreada neste dia porque cisca para traz, e isso traria muitas coisas ruins, desta mesma forma se repete na ceia de 1 de ano.



Estados Unidos: É uma mistura instável. Comemora-se o Natal de muitas maneiras. Vamos citar apenas uma delas: É a época de Santa Claus São Nicolau esta ou este esperam as crianças nas lojas para que façam os seus pedidos de Natal. No ritual as crianças sentam no colo do velhinho de barba branca que escuta os pedidos das crianças. Os pais por sua vez, ficam ao lado escutando a conversa e logo descobrem o que realmente as crianças esperam do papai Noel. Ele promete diante dos pais e das crianças, que se forem boazinhas e escreverem para ele ou pelo menos colocarem os pedidos nas meias ou na árvore de Natal, receberão o que estão pedindo. Ele faz uma promessa para as crianças dizendo:Quando eu vier do Pólo Norte com minha carruagem cheia de presentes, olharei pela janela e se a árvore de Natal ou as meias nas janelas estiverem bem visíveis, eu descerei e deixarei ali o seu presente”.


Portugal: O Natal é comemorado da seguinte forma: cria-se uma grande expectativa em torno de muitas coisas, por mais incrível que pareça, o credo que a maioria faz é em torno dos sapatos.As crianças como também muitos adultos acreditam que o papai Noel só vai colocar os presentes se os sapatos estiverem debaixo da cama. Em alguns casos, pessoas enfeitam os sapatos conforme sua religião permite.A ceia é servida após meia noite, e o almoço sempre é na casa do parente mais velho.


Brasil: Sem dúvidas é um dos países mais mistificado do mundo, onde tem de tudo um pouco. A maioria comemora no dia 25 de dezembro. O Brasil é o único país que adotou para esta festa pagã, todos os costumes dos povos, não só na alimentação, como também nas características de celebrar a festa. A árvore de Natal, por exemplo, chega ser uma afronta em todas as formas. Tudo que os outros países usam para enfeitar suas árvores dentro do misticismo religioso, os brasileiros fazem uso sem nem mesmo saber o significado. Muitos colocam até símbolos do Satanismo como o pentagrama. Todos estes países aderiram a festa de Natal em conformidade com a suas crenças, culturas, e paganismo.São festas que dentro de um paganismo religioso, trazem as maldições hereditárias.


II Cor: 11:14 “E não é de admirar, porquanto o próprio Satanás se disfarça em anjo de luz”.


Há pouco tempo atrás estava viajando para a Coréia com escala na china, o que chamou minha atenção foi que, um pais onde o evangelho dificilmente tem acesso, pois se trata de um pais comunista, o aeroporto como também as lojas das cidades quase que 90% estavam enfeitadas para o Natal. Pensei comigo mesmo: Como pode?


Então veio algo muito forte ao meu coração, descobri que a realidade do Natal esta tão impregnado no mundo inteiro. Comprometendo ate mesmo paises comunistas como a china, Rússia e a Corea do Norte para que os mesmos não fiquem de fora do sistema comercial, mesmo que para isso sua religiosidade seja denegrida. Eles não comemoram o Natal pelo nascimento de Jesus e sim por fazer parte de uma tradição mundial que compromete o comercio do mundo inteiro. O deus deste século cegou o entendimento deles.


JESUS E A TRADIÇÃO


Tradição significa - transmissão oral de lendas, fatos, hábitos, conhecimentos, valores espirituais, através de gerações. Como nova criatura, temos que analisar cada uma das tradições e ver se por trás de uma tradição não existe algo que desagrada ao nosso Deus.


Mateus 15:3 “Ele, porém, respondendo, disse-lhes: E vós, por que transgredis o mandamento de Deus por causa da vossa tradição?”.


Mateus 15:6 ao 9 “E assim por causa da vossa tradição invalidastes a palavra de Deus. Hipócritas! bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo honra-me com os lábios; o seu coração, porém, está longe de mim. Mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homem”.


Marcos 7:12 e 13 “não mais lhe permitis fazer coisa alguma por seu pai ou por sua mãe, invalidando assim a palavra de Deus pela vossa tradição que vós transmitistes; também muitas outras coisas semelhantes fazeis”.


APÓSTOLO PAULO E A TRADIÇÃO


Gálatas 1:14 ao 16 e na minha nação excedia em judaísmo a muitos da minha idade, sendo extremamente zeloso das tradições de meus pais. Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça, revelar seu Filho em mim, para que eu o pregasse entre os gentios, não consultei carne e sangue.


Colossenses 2:8 Tendo cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo.


Louvado seja Deus por este versículo! Paulo era um homem de Deus. Ele sabia que muitas das tradições malignas eram e seriam impetradas pelos próprios pais. Não queremos com isso dizer que nossos pais fizeram por maldade; Jamais eles fariam isso, pois nós como pais amamos nossos filhos e queremos o melhor para eles.



Acontece que nossos pais foram enganados assim como nós estávamos sendo enganados mesmo com a bíblia nas mãos. Mas glórias ao nosso Deus que nos revela o profundo e o escondido como esta escrito no livro do profeta Daniel 2:22 Se nós estamos violando a palavra de Deus por causa de tradições, só nos resta uma saída, devemos nos converter ao Senhor Jesus Cristo!


DIA DA MENTIRA É 1 DE ABRIL OU 25 DE DEZEMBRO ?


Nesta oportunidade vamos descobrir algumas das artimanhas do Diabo no que diz respeito ao Natal e ao nascimento de Jesus. Não queremos de forma alguma deturpar a pessoa do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Pelo contrário é necessário que todos saibam e acreditem que o menino Jesus nasceu e a palavra de Deus é verdadeira no que diz. Queremos sim mostrar a sutileza de Satanás como o pai da mentira.


João 8:44 “Vós tendes por pai o Diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele é homicida desde o princípio, e nunca se firmou na verdade, porque nele não há verdade; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio; porque é mentiroso, e pai da mentira”.


Sendo ele o pai da mentira não é difícil admitirmos que ele faça uso desta artimanha. E assim consiga deturpar tudo o que puder. O que não podemos admitir, é que os cristãos após estes esclarecimentos continuem participando de algo tão abominável aos olhos do nosso Deus, deixando-se levar com tanta facilidade. Se pararmos para pensar o Natal se tornou o dia da mentira, é a data onde milhões se endividam para viver um momento de mentira, o pai trabalham o ano todo, compram os presentes de seus filhos; no dia em que eles afirmam ter nascido Jesus que é o caminho, a verdade e a vida eles aplicam em seus filhos a maior mentira. Sendo assim, é claro que Jesus não é o Senhor desta festa.


DEUS JAMAIS APROVARIA TAL FESTA!


Salmos 4:2Filhos dos homens, até quando convertereis a minha glória em infâmia? Até quando amareis a vaidade e buscareis a mentira?


Não esqueça: esta festa é uma afronta ao nosso Deus. Nós não temos o direito de tentarmos o Senhor. Há muitos que com a bíblia nas mãos tentam justificar esta festa pagã, dizendo que o dia 25 de dezembro é o dia mais importante de sua vida. Eu acredito que o dia mais importante da nossa vida não foi o dia em que Jesus nasceu para este mundo, e sim o dia que ele morreu na cruz do calvário; dando-nos através de sua morte o direito de nascermos de novo.


Muitos dizem deixe Jesus nascer no seu coração


Não meu irmão é você que precisa nascer de novo e não Jesus. Jesus já nasceu, cresceu, morreu, ressuscitou e esta voltando para buscar os seus escolhidos! Se ele tivesse apenas nascido dentro do propósito divino e não tivesse morrido na cruz do calvário, seu nascimento não teria sentido algum. Somos gratos pelo seu nascimento porem devedores pela sua morte. O nosso Salvador não é o menino Jesus e sim o filho varão!


Isaías 9:6 e 7 “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz. Do aumento do seu governo e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o estabelecer e o fortificar em retidão e em justiça, desde agora e para sempre; o zelo do Senhor dos exércitos fará isso”.



Um menino nos nasceu mais um filho se nos deu


A palavra revela que o governo estaria sobre os ombros do filho varão e não do menino. O inimigo não admite sua derrota na cruz do calvário pelo filho varão o Senhor Jesus Cristo, por isso Satanás sempre quer cultivar a idéia de Jesus como menino. O nascimento do menino Jesus trouxe a Satanás apenas uma afronta, mas a morte de Jesus a sua derrota eterna. Deus jamais aprovaria esta festa pagã. Portanto o dia mais importante para qualquer cristão é o dia em que ele nasce de novo. Este milagre só acontece porque Jesus nasceu, morreu e ressuscitou.


Deus jamais quis que o dia do nascimento de Jesus fosse registrado.


Se o próprio Deus não quis deixar registrado o dia e a hora do nascimento de Jesus é porque tinha uma razão um motivo você não acha? A bem da verdade os Judeus não comemoravam aniversario e sim a morte. Sós os faraós e os Herodes da vida faziam questão de deixar marcado o dia do seu nascimento e eles faziam isso por uma simples razão, porque eles se consideravam deuses.

Ao examinar as escrituras descobrimos que não há relato do dia em que os homens de Deus nasceram. Por quê? Porque na cultura judaica não se comemora o dia do nascimento só a morte! Esta é mais uma razão de Deus ter ocultado o nascimento de Jesus! O que nos chama bastante atenção é que o mês, dia e a hora do nascimento de Jesus ninguém sabe, em contra partida o dia de sua morte temos o relato completo o mês abril o dia sexta feira e hora astrês da tarde .


Eu acredito que se fosse à vontade de Deus em comemorarmos o aniversário de Jesus, Deus não teria nenhuma dificuldade de deixar registrado em sua palavra! Você concorda? Muitos pastores com a bíblia nas mãos afirmam que o povo de Deus pode comemorar o natal. Eu gostaria que estes mesmos pastores achassem na bíblia sagrada o aval de Deus para que pudéssemos comemorar o aniversario de Jesus. Existem pastores que afirmam categoricamente que os primeiros a proclamar e divulgar o natal foram os pastores de Belém. Meu caro leitor os pastores anunciaram o nascimento de Jesus como salvador do mundo, O natal é uma outra historia! O Natal foi criado dentro de um contexto pagão para que o mundo pudesse idolatrar o menino Jesus, não esqueça o teu Salvador não e um menino. A artimanha foi tão grande que para apoiar as festas pagãs eles tiveram que mexer ate no calendário haja vista que o calendário Judeu não correspondia às expectativas. Foi criado então outro calendário. Por esta razão vamos mostrar os dois calendários: O judaico e o Gregoriano Analisem os dois calendários e tire suas próprias conclusões.


CALENDARIOS